1 de ago de 2006

IRENE NO CÉU

.

.

.

Irene preta
Irene boa
Irene sempre de bom humor.
Imagino Irene entrando no céu:
— Licença, meu branco!
E São Pedro bonachão:
— Entra, Irene. Você não precisa pedir licença.
.
.
Manuel Bandeira
.
.
.

6 comentários:

renata disse...

Adoro esse poema do Bandeira. Tem cheiro de infância. Seu blog está muito bonito e o conteúdo excepcional, marcas da minha maninha!!! Beijos mil.

Anônimo disse...

Este poema lembrar minha irmâ já falecida desde de 1987.com certeza uma pessoa muito querida e especial,sempre vamos sentir saudades dela... é inesquecível
Ivne Chaves Bentivi

Leonor Cordeiro disse...

Obrigada Renata, seu carinho sempre é um presente.
Obrigada Ivone, me emocionei com a sua lembrança.
Grande abraço!

sueli disse...

Alem de cheiro de infancia, para mim essa poesia lembra minha mãe que acaba de ir para o lado de S.Pedro. Ela se chamava Irene, naõ era preta mas era boa, de bom humor e quituteira de mão cheia, alem de declamadora. E o mais coicidente é que uma amiga espirita da familia, disse-me em certa ocasião que a vida dela estava por um fio, em termos de saude, mas que sua passagem, conforme a linha espirita, seria feita com tranquilidade. E essa poesia diz exatamente isso - é como se fosse feita para ela. Abraço, Sueli Faria

Irene disse...

Oooiii!!
Meu nome é Irene, tenho 14 anos i conheci esse poema atraves do meu professor d porrtugues, logo mi indentifiquei com ele [mesmo eu nao sendo ''preta'' rs'] e vai mrca de uma maneurag especial a minha vida
abraço Irene Brito ♥

Bia Emidio disse...

aaah , esse foi o primeiro poema qe eu li !^^
amo dii mais Manuel Bandeira sz*

e paraabeéns pelo seu Blog xd