29 de jul de 2006

O PÁSSARO CATIVO

.
.
Armas, num galho de árvore, o alçapão
E, em breve, uma avezinha descuidada,
Batendo as asas cai na escravidão.
Dás-lhe então, por esplêndida morada,
Gaiola dourada;
.
Dás-lhe alpiste, e água fresca, e ovos e tudo.
Por que é que, tendo tudo, há de ficar
O passarinho mudo,
Arrepiado e triste sem cantar?
É que, criança, os pássaros não falam..
Só gorjeando a sua dor exalam,
Sem que os homens os possam entender;
Se os pássaros falassem,
Talvez os teus ouvidos escutassem
Este cativo pássaro dizer:
.
"Não quero o teu alpiste!
Gosto mais do alimento que procuro
Na mata livre em que voar me viste;
Tenho água fresca num recanto escuro.
Da selva em que nasci;
Da mata entre os verdores,
Tenho frutos e flores
Sem precisar de ti!
.
Não quero a tua esplêndida gaiola!
Pois nenhuma riqueza me consola,
De haver perdido aquilo que perdi...
Prefiro o ninho humilde construído
.
De folhas secas, plácido, escondido.
Solta-me ao vento e ao sol!
Com que direito à escravidão me obrigas?
Quero saudar as pombas do arrebol!
Quero, ao cair da tarde,
Entoar minhas tristíssimas cantigas!
Por que me prendes? Solta-me, covarde!
Deus me deu por gaiola a imensidade!
Não me roubes a minha liberdade...
Quero voar! Voar!
.
Estas cousas o pássaro diria,
Se pudesse falar,
E a tua alma, criança, tremeria,
Vendo tanta aflição,
E a tua mão tremendo lhe abriria
A porta da prisão...
.
Olavo Bilac
.

16 comentários:

renata disse...

Lembro-me de uma tia bem velhinha recitando essa maravilha de poema do Bilac, há uns 17 anos atrás... Lindo demais! Recordar é viver. Beijos mil.

Anônimo disse...

Também guardo com carinho a lembrança de uma tia, hoje já falecida, que me recitava esse poema há uns 25 anos atrás.

Leonor Cordeiro disse...

Obrigada por visitarem esse blog.
Obrigada por compartilharem um pouco das suas lembranças.
Grande abraço!

dajofe disse...

este poema é o que mais gosto.
parabéns! você tem bom gosto.

Anônimo disse...

Não poderia deixar de procurar este poema, pois minha mãe disse que quando ela estudava, foi escolhida para recitar este lindo poema de Olavo Bilac em sua escola, e no final ela libertou o pássaro que havia levado preso em uma gaiola, faz muito tempo que aconteceu. Mas ela se lembra até hoje!
Parabéns, a escolha não poderia ser melhor.
Lia

Anônimo disse...

Não poderia deixar de procurar este poema, pois minha mãe disse que quando ela estudava, foi escolhida para recitar este lindo poema de Olavo Bilac em sua escola, e no final ela libertou o pássaro que havia levado preso em uma gaiola, faz muito tempo que aconteceu. Mas ela se lembra até hoje!
Parabéns, a escolha não poderia ser melhor.
Lia

Jacilinda disse...

nha mãe recita este poema, ensinou ao neto e hoje, ela quer que eu ensine aos meus alunos e já estou fazendo isso. Ela não só recita este mas outros, do mesmo autor e de autores diferentes. Ela tem 90 anos e se lembra de todos eles. Decorou os versos ainda bem pequena, quando estudou no Colégio Maria Tereza em Olinda.

alessandra disse...

Bem como disse me alguem especial este poema ea coisa mais linda que ja li em toda minha vida ea resposta para quem quer saber o que ea liberdade

alessandra disse...

muito lindo realmente e o significado real do que e ser livre a partir de hoje jamais me esquecerei deste poema belisimo

neyrimagml disse...

Que saudade de minha infância, lá pelo idos anos de 1944, quando ouvi meu professor de português recitar o mais belo poema sentimental de Olavo Bilac - Pássaro Cativo- pois, após recital o mesmo me motivou incentivo a me libertar das gaiolas os passarinhos que mantive presos sem ter noção de seus sofrimentos...
Hoje, decorridos 66 anos, no fundo de quintal de minha casa, contidos de árvores de mangas,goiabas, cajus, bananas, abacates e côco da baía, dito cujos, são morada livre dos sabiá, trinca ferro, pitanguá(bentevi), joão de barro, sanhaço, pardal, canário e até tucano, enfim todos os dias de manhã cedinho e cair da tarde, eles me contemplam seus cantos de alegria e verto lágrimas de emoção por compreende-los que são músicos angelical de Deus.

edna disse...

Este poema eu escolhi para recitar na minha epóca de estudos ha mais de 40 anos e nunca esqueci algumas partes dela, procurei várias vezes nos livros atuais e só agora
com o computador, tive a alegria de recordar deste maravilhoso poema.

Jacilinda disse...

A maioria dos poemas de Bilac sempre fizeram parte da minha infancia, aprendi todos com minha mãe e sempre ela não se lembra de quem é o autor. Me sinto feliz por encontrar pessoas que tb desfrutaram desse aprendizado. Mil bjinhos prá vc.

Célia disse...

Hoje com 54 anos lembrei desta poesia que na época de escola foi decorada. Buscando na internet estou aqui com os olhos cheios de lágrimas lendo esta preciosidade.

Célia disse...

Célia
Hoje com 54 anos me lembro desta poesia que no tempo de escola foi decorada e apresentada em uma de nossas festas.

Joao Paulo disse...

Sinto-me emocionado pois a mais de 30 anos fui um dos escolhido para r
ressitar_lo no colégio.
ai vai uma dica: recomendo Deus Negro de Ademar De Barro.

jp Esplanada BA

Joao Paulo disse...

Sinto-me emocionado pois a mais de 30 anos fui um dos escolhido para r
ressitar_lo no colégio.
ai vai uma dica: recomendo Deus Negro de Ademar De Barro.

jp Esplanada BA